Porque oxida o organismo

A oxidação

Essencial à vida na Terra, o elemento Oxigénio desempenha papéis importantes no metabolismo celular. Porém tem um efeito pernicioso conhecido por oxidação celular e que conduz ao envelhecimento.

O processo de oxidação acontece aos diversos materiais que se conhecem, sendo exemplo disso a formação de ferrugem nos metais e por maioria de razão às células do corpo humano, motivo pelo qual envelhecemos.

A formação de radicais livres no metabolismo celular provoca uma instabilidade em determinados átomos que então se associarão a outros que podem danificar as células por oxidação.

Esta ocorrência natural varia na sua intensidade em função de distintas variáveis tais como a genética dos indivíduos, o estilo de vida, a alimentação e outros. Avança lentamente, contudo deixando sequelas muito percetíveis no nosso organismo. Outros fatores podem ter um contributo importante, como é o caso do stress, tabaco, alcoolismo, substâncias tóxicas, etc…

É sabido que várias doenças estão intimamente relacionadas com este acontecimento, tais como enfisema, retinopatias, AVC, neoplasias, entre muitas outras.

Os antioxidantes

Os antioxidantes são substâncias, cuja composição e forma molecular permite que se liguem a radicais livres de átomos instáveis, evitando que se liguem ao oxigénio que conduziria ao processo de oxidação.

Algumas destas moléculas podem mesmo ser produzidas pelo nosso organismo, precisamente com o objetivo de proteger as nossas células contra o mecanismo da oxidação. Exemplos disso mesmo são algumas enzimas, tais como a catalase e o superóxido dismutase.

Porém, muitas vezes o número de radicais livres supera largamente a nossa capacidade de produzir estes antioxidantes, pelo que se gera stress oxidativo, com resultados perniciosos para a nossa saúde e em particular na promoção do envelhecimento. As membranas celulares são danificadas, o sistema imunitário debilitado e mesmo o sistema hormonal pode sofrer alterações. Estes ambientes são propícios ao desenvolvimento de células cancerígenas.

Há teorias que defendem que em 80 a 90% das doenças inflamatórias, respiratórias, oncológicas e neurodegenerativas, o stress oxidativo desempenha um papel muito relevante.

Por estes factos, é de extrema importância manter um estilo de vida saudável, com exercício físico, associado a um regime alimentar saudável, com alimentos ricos em substâncias antioxidantes, tais como frutas e vegetais que promovam a resistência do nosso organismo à oxidação o que de um modo simplista se pode comparar com o tratamento que se faz ao aço para que este se torne inoxidável.

Existem inúmeros antioxidantes presentes nos alimentos, tais como as vitaminas, polifenóis, entre outros, que potenciam a actividade antioxidante. Quando estes não são suficientes, a suplementação com antioxidantes mais potentes é fundamental.

Adicionar ao carrinho